Diálogo e Confiança

Difícil essa coisa de confiar em alguém, né? Quando eu trabalhava no mundo corporativo, com comunicação interna, não era raro algum gestor me pedir para contar a “verdade” nos comunicados, mas omitindo certas informações, suavizando certas mensagens. Queriam que a comunicação fosse transparente, para todos os funcionários saberem o que estava acontecendo na empresa, mas sem contar exatamente tudo que estava se passando.

E quando isso acontecia, não demorava muito para alguma informação vazar informalmente, em conversas de corredor, e logo virar boato dentro da empresa. Então, como estabelecer vínculos de confiança sem ser verdadeiro? Impossível.

Quando me tornei mãe, essa preocupação ficou ainda mais latente. Não queria esconder nada do meu filho, claro tomando as devidas precauções referente à idade dele e capacidade de compreensão. Assim, comecei a observar mais atentamente algumas posturas, técnicas e orientações que vira e mexe eram motivo de conversa nos grupos de Facebook ou papos maternos.

Eu tenho certeza que falar a verdade é fundamental para construir vínculos afetivos de confiança.

Quero que meu filho saiba que pode sempre ser sincero comigo, que estarei ao seu lado para apoiá-lo, para conversar sobre qualquer assunto. E quero começar a construir essa relação desde cedo.

Por isso, decidi colocar no papel algumas histórias que podem ser usadas como condutores de diálogos sobre assunto mais delicados. O primeiro deles, o desmame, foi um caso de sucesso aqui em casa, acredito que pela forma que conduzimos o processo, com respeito, gentileza, paciência e transparência. Por isso, foi o tema que me motivou a começar essa coleção de livros e é o tema dos nossos primeiros lançamentos.

A Conto com Você está chegando para incentivar o amor pela leitura, o diálogo e a construção de vínculos de confiança. Na minha casa e na sua.

Vem comigo?

Adicionar comentário